64

by | Mar 5, 2021 | 0 comments

https://festinhabobanoape.com/wp-content/uploads/2021/02/Vol.64.png
https://festinhabobanoape.com/wp-content/uploads/download/Festinha.Boba.No.Ape.Vol.64.mp3

Interrompemos momentaneamente nossa programação de músicas novas para uma breve viagem no tempo: 1964 > 2018 > 2021. Em 2018 conhecemos o coletivo Rotação Brasil (formado por Johnny Nelo, Rael Alves, Luiz Land e Marcos Bravo) e ficamos muito impressionados com o garimpo musical dos caras. Por duas vezes, fomos até Diadema vê-los pilotar as pick-ups ao vivo com seus sets de música brasileira majoritariamente da década de 60. Entre os vários recortes possíveis, um em especial nos chamou a atenção: canções com críticas sociais ao Brasil daquela época (todas lançadas após 1964) que, infelizmente, ecoam ainda hoje no Brasil dessa década que se inicia. Grandes intérpretes como Cláudia, Tânia Maria, Rosely, Luli, Aracy de Almeida, Anamaria Bom, Ary Lobo e João do Vale (sem contar todos os compositores por trás dessas pérolas), na sua grande maioria, se encontram hoje esquecidos por um país que tem enorme dificuldade de preservar e valorizar sua cultura (tão apreciada no resto do mundo, diga-se de passagem). Apagamento da memória que ocorre, inclusive, nas plataformas onde estamos nos habituando a ouvir música nos dias de hoje: das 14 músicas desse Mixtape, apenas 5 podem ser encontradas no Spotify (mesmo assim criamos uma playlist por lá – Samba Bossa Balanço e Crítica Social – com músicas que não entraram nesse Mixtape). Então, fica aqui a nossa “garrafa jogada ao mar”, a deriva, como a história de muitos desses artistas. Se curtir, compartilhe e dê prosseguimento a essa lenta e persistente procissão que veio da década de 60 encontrar os meninos Rotação Brasil, percorreu seu caminho até esse blog e, agora, segue viagem navegando ao seu lado. Espero que goste! Abs!

00:00 / 1. Moleque – Rosely (1966)
01:42 / 2. Lavadeira Tem Filho Doutor – Leila Silva (1964)
04:35 / 3. Deixa o Morro Cantar – Claudia (1965)
07:00 / 4. Viver Morrer – Tânia Maria (1966)
10:13 / 5. Mestiço – Wilson Simonal (1965)
12:06 / 6. Zero à Esquerda – Sônia Lemos (1968)
14:12 / 7. Baleiro – Luli (1965)
16:49 / 8. Negô São – Ary Lobo (1966)
18:56 / 9. Batucada Surgiu – Aracy de Almeida (1966)
21:10 / 10. Menino das Laranjas – Elis Regina (1965)
23:18 / 11. Matando a Miséria a Pau – Lafayette (1965)
25:40 / 12. Pra mim não – João do Vale (1965)
27:44 / 13. Queimada – Anamaria Bom (1965)
30:21 / 14. Mote Bem Brasileiro – Grupo Terra (1980)

0 Comments

Submit a Comment

Your email address will not be published.

Share This