Economizando na terapia com música brega…

4

Posted on : 30-11-2009 | By : festinhabobanoape

Estava sozinho no táxi. O motorista olha pra minha cara pelo espelho e troca de estação:  flashback da Antena 1. O que foi que eu fiz? Tudo o que eu disse foi “ba-ru-e-ri” e ele se sentiu no direito de me expor ao potencial imprevisível da minha cultura  brega. E, quando você menos espera, bingo, se pega franzindo a testa com um sorrisso meio sem graça relembrando aqueeeeeeeeeela música brega que não ouvia há décadas. Sim, ele conseguiu, todas aquelas músicas moderninhas, sites especializados e suas críticas visionárias são espelidas pelo cano de descarga e você fica ali sozinho no banco de trás com sua breguice interior nostálgica e melosa…

É, por mais doloroso que seja aceitar, todo mundo tem sua música brega preferida. O problema é que em público não é tão fácil de admitir. Uma música brega tocada num elevador lotado, na sala de espera do dentista ou numa churrascaria rodízio terá seus efeitos psicoterápicos reprimidos. Porém, se essa mesma música é tocada na hora certa, aquela hora em que todas as pessoas em volta sabem que é legítimo liberar seus sentimentos abafados, parece que todo aquele acervo de canções bregas reprimidas nos últimos mêses são liberados numa catarse coletiva.

Foi assim que reencontrei Daryl Hall & John Oates, dupla de compositores que emplacou vários Top 10 e 19 Discos de Ouro e Platina no iníco da década de 80. Com certeza você os conhece  e ainda não se deu conta: Maneater, Kiss On My List, Say It Isn’t So, I Can’t Go For That, Adult Education, entre outras…Não bastasse este reencontro no táxi, uma semana depois, assistindo a “500 Dias Com Ela”, após uma cena em que o protagonista dorme pela primeira vez com sua namorada, assisto a esse clipe acima e, junto com todo o cinema, estampo um sorrisso no rosto. Não havia música e clipe mais perfeitos para aquele momento! Pronto, o lado brega da força havia sido liberado! Rato de créditos que sou, fiquei até o fim do filme para descobrir que lá estavam eles de novo me assombrando pela segunda vez em menos de uma semana.

Este post é o meu momento de exorcismo de Darryl Hall & John Oates, que são bregas, que eu gosto (sim, sei o que estou dizendo, é quase como se admitisse gostar do Sullivan e Massadas – mas não chega a esse ponto!), mas pra escutar no máximo 1 vez por ano.

Quer mais? O site oficial dos caras fica aqui e você pode ouvir trechos de alguns dos seus hits aqui.

Rosemary e Freddie Mercury? Não, Hall & Oates… Rosemary e Freddie Mercury? Não, Hall & Oates...

Acampando e cantando…

1

Posted on : 26-11-2009 | By : festinhabobanoape

“We’ll Make It Right” são 6 pessoas que em janeiro desse ano alugaram um quarto de hotel em Amsterdan por uma semana pra gravar seu disco. Foram 9 músicas em 7 dias, acordando e dormindo no meio dos instrumentos, um misto de imersão musical e acampamento. Por questões de espaço ou de acústica, quem sabe, as backing vocals foram parar no banheiro. Com clima de um sarau caseiro e com uma simplicidade invejável o vídeo acima mostra a música que mais gosto do álbum e que faz parte do “Festinha Boba Vol.02.”

Você pode conhecer mais no myspace da banda, no blog dos 7 dias de gravação ou, sim, eles são muito gentis também, baixar o disco completo clicando aqui!

Acampando no hotel…

O feudo onde eles dormiram…

“Tecido Sônico”, não sei como a Bjork ainda não usou isso num show…

0

Posted on : 18-11-2009 | By : festinhabobanoape

Ok, já sou identificado com fitas K7 em geral e, além de receber fotos de K7s para usar nas próximas playlists, bopcomunicação me mandou essas gravatas. Elas foram feitas com fita magnética e podem ser “escutadas” através de um walkman modificado (veja aqui como modificar o seu – viajem total). O resultado não é exatamente uma daquelas melodias ocidentais que estamos acostumados a ouvir, mas tenho certeza que a Bjork seria capaz de tirar um som disso aí… Já tem gente tentando, no vídeo abaixo, com luvas adaptadas com cabeçotes de tape-deck, o baterista Jon Fishman “toca” seu vestido reciclado de fita magnética. Segundo ele tinha bastante Jimi Hendrix nas fitas usadas… Dá pra entender!

Um disco que dá vontade de ouvir várias vezes…

1

Posted on : 08-11-2009 | By : festinhabobanoape

Você acha que 4 moleques de 20 anos tem maturidade pra fazer um álbum sofisticado? Pois, até onde minha ignorância musical vai, “The XX” fez o melhor disco de estréia de uma banda nesse ano.

Pra começar não tem 1 só hit, são pelo menos 4 faixas (Crystalised, Islands, Shelter e Basic Space) que se alternam entre as mais tocadas em várias listas da web. Todas com uma leveza de toque que você não espera de uma banda que lança seu primeiro disco. Basicamente é um disco que dá vontade de ouvir várias vezes.

O vocal alternado entre a voz feminina de Romy Madley Croft e a masculina de Oliver Sim cria uma tensão deliciosa que se resolve quando as duas se encontram nos refrões. Quase susurrando, com vozes cansadas, as letras falam sobre relacionamentos, amor e sexo (Maybe I had said, something that was wrong / Can I make it better, with the lights turned on?), e às vezes parecem mesmo um casal conversando.

O disco é todo meio melancólico, com certeza não é trilha sonora pra dias de sol. Mas, como já dizia nosso guru Chico Buarque, é melhor sofrer em dó menor do que sofrer calado.

Ouça mais músicas no my space da banda clicando aqui.

Non Te Metas A Mi Facebook – Esteman

3

Posted on : 05-11-2009 | By : festinhabobanoape

Clássico do gênero “Mercosul Indie”, Esteman com “Non te Metas a Mi Facebook”! Clique aqui para myspace e história da banda.

Esteman – No te metas a mi facebook

Pedro Villa y Josefina están prontos a ligar,
Pero Laura la vecina los ha visto desertar,
Juan Ruja renuncia y lo hace publicar
Leonora su esposa pronto lo va a borrar

Amanda y Miranda acaban de rastrear
A Lina su amiga que les dejó de hablar
Tantean, husmean, no hay nada que indagar
Es fácil, muy fácil, sólo opriman pokear

(Coro)
No no te metas a mi Facebook
No te metas por favor
Cada vez que tengo un inbox
Me provoca poner close
No te metas a mi Facebook
No te metas por favor
Cuando escribas melodramas
No me lo hagas por el wall

De 620 amigos te relacionas con 10
90 desconocidos más 60 friend requests
Te buscan, rebuscan, pronto te van a ver
Juntitos, toditos, apuéstenle a la red

200 eventos, a los que debes ir
Aceptas a todos aunque no quieras ir
Tu vida es difícil, tienes que decidir
Aplica la regla, ponle a todos maybe

(Coro)
No no te metas a mi Facebook
No te metas por favor
Cada vez que tengo un inbox
Me provoca poner close
No te metas a mi Facebook
No te metas por favor
Cuando escribas melodramas
No me lo hagas por el wall

No me lo hagas por el wall (bis)
Me provoca poner close

No me digas que no tienes que ir al baño
Cuando, te miro te la pasas Facebookeando
y luego suspiro, te vas a quedar un rato
y mucho más

No me digas que tienes otro cumpleaños,
Del que hace un año ni te hubieras enterado
Será que ahora es moda festejar con los extraños
Y brindar por brindar

(Coro)
No no te metas a mi Facebook
No te metas por favor
Cada vez que tengo un inbox
Me provoca poner close
No te metas a mi Facebook
No te metas por favor
Cuando escribas melodramas
No me lo hagas por el wall

Festinha Boba No Apê pronuncia suas primeiras palavras…

1

Posted on : 01-11-2009 | By : festinhabobanoape

Gronlandic Edit – Of Montreal

1

Posted on : 25-10-2009 | By : festinhabobanoape

(The surrealists were just) nihilists with good imaginations

I am satisfied hiding in our friend’s apartment
Only leaving once a day to buy some groceries
Daylight I’m so absent minded nighttime meeting new anxieties
So am I erasing myself? Hope I’m not erasing myself

I guess it would be nice to give my heart to a god
But which one which one do I cho-o-o-o-ose?
Oh the church is filled with losers, psycho or confused
I just want to hold the divine in mine and forget, forget,
forget,
forget,
forget,
forget all of the beauty’s wasted

Let’s fall back to Earth and do something pleasant
We fell back to earth like gravity’s bitches
Physics makes us all its bitches

I guess it would be nice to help in your escape
From patterns your parents designed
All the party people dancing for the indie star
But he’s the worst faker by far
In the set I forget,
forget,
forget,
forget,
forget,
forget all of the beauty’s wasted

Guess it could be nice show me that things can be nice
You’ve got my back in the city you’ve got my back
‘Cause I don’t want to panic